Dando continuidade ao projeto Eureka, com as palestras gratuitas, mas com muito conteúdo informativo, para que você seja libertado da ignorância, sim pois o conhecimento liberta e dá poder.

Se analisarmos, verdadeiramente a única coisa que levamos daqui do plano material é o conhecimento, o aprendizado. Nossos sentimentos, emoções fazem parte desta bagagem, afinal tudo fica registrado em nosso mental.

E este fator é o principal que vai definir para onde vamos após o desencarne, através da vibração, seja ela positiva ou negativa, portanto, não há vítimas no Universo!

Por mais difícil que possa parecer, compreender isso e aceitar, é o primeiro passo para seu verdadeiro crescimento, amadurecimento, saber que é responsável por tudo, por toda a sua vida, em todos os sentidos.

Responsabilidade é a chave!

Mas o que as entidades espirituais, aqui me refiro, as que nos orientam, nos terreiros, nos centros espíritas, e nos atendem tem a ver com isso?

Nada! E ao mesmo tempo tudo!

Existem pesquisas que comprovam que mais de 80 % das pessoas que procuram ajuda nestes locais, não possuem nenhum tipo de influência espiritual negativa. Ou seja, não precisariam de uma desobsessão, ou um transporte, ou um descarrego, ou uma quebra de energias negativas.

Não estão sendo atuadas com magias, ou macumba feita, como gostam de dizer.

É sempre muito mais fácil, imaginar que existem forças tenebrosas negativas atuando contra a minha vida, a tal maré de azar, a nuvenzinha da “Familia Adans”, me rondando e fazendo tudo dar errado na minha vida.

Aí eu brigo em casa com a minha família, ou melhor, meus familiares brigam comigo, minha mulher pega no meu pé, por exemplo, porque cheguei mais tarde, tomei umas a mais e nem avisei onde estava. Ou meu marido, reclama que o jantar não está pronto, só porque fiquei batendo papo na internet com as amigas, ou pior, só fiquei investigando a vida alheia no Instagran ou Facebook… afinal eu tenho de me manter atual das notícias! Ou meus filhos não dão sossego, querem atenção, e eu já mando, calar a boca logo!

Lá no trabalho meu chefe não dá paz, meus colegas ficam fofocando o tempo todo, falando mal de alguém e eu para não ficar “de fora” parecer antissocial, acabo me distraindo e atraso minha parte no meu serviço.

Ou ainda quando vou dar uma voltinha para distrair, vejo uma coisinha numa loja, entro olho e penso, não posso viver sem isso! Tenho de levar! Pago no cartão e depois eu vejo o que faço. Aí quando a fatura chega, é aquele desespero! Afinal eu só fiz isso umas vezes durante o mês e era tão baratinho, e eu estava precisando! E eu tenho que me fazer feliz, foi orientação das entidades! Me falaram pra eu me cuidar e fazer o que gosto!

E assim agindo como um rolo compressor, passando por cima de tudo e de todos, vamos vivendo nos enganando, fingindo que está tudo bem…, mas que tem macumba feita pra mim tem! As brigas em casa só aumentam, meus filhos enchem a paciência, meu trabalho tá horrível, e as minhas finanças então, melhor nem falar! Mal ganho pra comer! Sou uma pessoa tão boa! Não mereço isso que está acontecendo!

A pessoa vai vivendo culpando a tudo e a todos ao seu redor, mas nunca para, para refletir sobre a sua maneira de agir, de falar de pensar. Não se responsabiliza por nada que diz ou faz, mas é tudo culpa dos outros mesmo! Então eu tenho de procurar algum lugar pra acabar com esta macumba na minha vida!

Aí a criatura vai por exemplo a um terreiro de camdomblé o Babalorixá diz que tem de jogar búzios pra ver o que está acontecendo (aí a fatura do cartão já aumenta né), e aí vem o resultado! Sua vida tá toda complicada mesmo, cheia de demandas que fizeram pra acabar com a harmonia familiar, te tirar do emprego, e falir, e em breve uma doença muito grave vai aparecer!

Só que a pessoa não se dá conta que tudo que estão falando pra ela, foi ela mesma que disse que estava ruim na vida. Fica apavorada e pergunta logo:  Meu pai, então o que eu tenho de fazer pra acabar com isso? Aí vem o “golpe de misericórdia”, banhos, trabalhos, ebós e mais despachos, urgentes!

O cidadão sai daquele local enlouquecido, arruma dinheiro emprestado, faz tudo o que foi pedido e pensa: pronto, tô livre!!! Acabou meu sofrimento! Vida nova!!!

Mas a pessoa continua vivendo da mesma forma agindo do mesmo jeito, atraindo as mesmas situações, que vão se repetindo e a vida enrola mais ainda! Então o cidadão procura agora outro local, afinal aquele eu paguei caro e não resolveu nada! Porcaria de lugar! Só me exploraram!

Vai a um outro terreiro, de Umbanda por exemplo, toma passe, conversa com as entidades, recebe um monte de orientações, sobre mudar a maneira de ser, melhorar sua energia, cuidar dos vícios, parar de gastar sem necessidade, e ainda ganha velas para acender em casa, ou quando é solicitado que faça algum outro trabalho, tome banhos, faça orações. Sai do local se sentindo até melhor. Mas lá no seu pensamento tá assim: que porcaria, não me cobraram nada, lugar fraquinho! Imagina se um banho de erva ou acender vela vale de alguma coisa! Perdi meu tempo! Me disseram que não tem nada de negativo feiro contra mim! Marmotagem! Mentirosos! Nunca mais volto aqui!

Então resolve procurar mais um local, afinal a carga tá grande e me dizem que não tem nada! Imagina! Vê se pode! E assim vai pulando de casa em casa, de religião em religião, até se tornar totalmente sem fé, descrente, porque lá no Kardecismo quando a pessoa foi, disseram que ela tinha de fazer a reforma íntima! Mudar, imagina, eu ter de mudar! Quem tem de mudar são as outras pessoas!

Mas enfim ela encontra a salvação!!! Agora sim encontrei um lugar bom! Aqui todos os meus pecados já estão pagos! Passei pelo culto da oração de descarrego, comprei o azeite e o sal bendito para a proteção da minha casa! Estou ungido! E nada é mais forte que “Meu Deus”!

Só preciso pagar o dízimo mensal, afinal vou garantir a minha vaga no céu! Então preciso mesmo, economizar, vou parar de tomar aquelas a mais, se não, quando ficar em atraso no dízimo, eu vou é pro inferno! E a pessoa começa através do medo e da ignorância fazer a tal reforma íntima, de uma forma mesmo que torta, mudar sua conduta.

Então tudo tem função nesta terra, todas as religiões! Mas falei tudo isso para fazer uma pergunta:

 – As entidades são terapeutas?

Sim, afinal fazem o trabalho de psicólogos, quando você se ajoelha aos pés de um preto velho, e chora. Quando você recebe o sorriso de um baiano, com sua forma alegre de falar as coisas. Ou quando recebe um doce de uma criança, para adoçar a sua vida. Mas tem também os marrudos boiadeiros, que com as suas feições de bravos, muitas vezes conseguem com sua força e energia te colocar no eixo, te trazer para a realidade.

Cada linha de trabalho tem uma especialidade, uma forma de agir, em nosso mental, emocional, limpam nossa energia, alinham nossos Chacras, nos dão mensagens de fé, otimismo, força, mas principalmente nos orientam sempre a nos cuidar, acreditar em nós mesmos, incentivam ao estudo, a mudança, a buscar a fazer diferente, nos elevam, trabalham a nossa autoestima.

Em alguns casos as pessoas nem precisam de velas, ou outros trabalhos, eles sabem que se não derem provas de que estão fazendo algo, a fé da pessoa não se sustenta! De nada vai adiantar todo o trabalho de limpeza, orientação que está realizando.

Quando o plano Astral fundou a Umbanda o principal objetivo, é o de combater os seres e energias negativas, que atuam ativamente em nosso planeta. Mudar a forma de culto, renovando o culto aos Orixás, por que se fosse para ser igual aos existentes não precisaria fundar uma nova religião. Alterar o nível de consciência das pessoas, elevando sua forma de agir e pensar. Conscientizando!

Portanto, as entidades são terapeutas?

Não, este trabalho é nosso! É nosso dever nos conhecer, saber de forma consciente de todas as coisas que fazemos e atraímos! Mas eles abnegadamente sabem, que com suas formas de ser e agir em nós, estão sim nos ajudando achegar neste estágio de consciência.

Quando me elevo, nos pensamentos, ou seja, estou sempre, ou quase sempre, com meus pensamentos e sentimentos, na alegria, na gratidão, no amor, na compreensão, na colaboração, na doação, em primeiro lugar para mim. Quando me aceito, me corrijo, assumo a responsabilidade, procuro entender, me compreender, a doar tempo para o que é bom para mim, fazendo cursos, lendo livros, praticando a caridade, seja de forma religiosa ou não. Quando trabalho com energias, de reiki, cristais, cores, ou seja, lá qual for a forma, estou investindo no meu amadurecimento, no meu crescimento na minha evolução, me tornando um ser melhor. E tudo ao meu redor muda!

Nós buscamos nas entidades aquilo que falta em nós! E eles nos mostram isso. Nos ensinam a acreditar que somos capazes! Que podemos, que somos divinos, que somos únicos, e principalmente que somos responsáveis!

Quantas vezes ouvimos, precisa cuidar da matéria! Se alimenta melhor, bebe mais água, come mais frutas, mais verduras! Fica mais calmo! Toma banho de erva e chá calmante! Para de ouvir o que os outros falam! Pensa no que é bom para você! Faz o que gosta! Eleva os pensamentos! Reza! Cuida de você!

Neste momento estão justamente, fazendo o papel de médicos, pois a sua pressão tá alta, você está com diabetes e não cuida, come demais, e muita porcaria, precisa emagrecer, ou engordar, ou sei lá o que, mais não faz o que tem de fazer!

Eles atuam como terapeutas espirituais trabalhando em nossos campos e corpos energéticos!

Realizam trabalhos de curas e ajustes magníficos, cirurgias, quebram sim, as demandas, as energias negativas, retiram os obsessores, mas atualmente a principal atuação tem sido no papel de amparadores emocionais! Nós conseguimos evoluir rapidamente em tecnologia, em conhecimentos, nas áreas da medicina, na área digital, mas continuamos parados ou até estamos regredindo no campo emocional. Falta amor, compaixão, gratidão, alegria, fé!

Falta isso em nós, conosco e com as outras pessoas. Afinal só posso dar aquilo que tenho. E se eu não tenho em mim, eu tento tirar do outro… É mais fácil eu sugar a energia do outro para mim, do que aprender a produzir, porque eu tenho de mudar, para que me preencha de mim, de tudo o que preciso e aí sim eu posso compartilhar com o outro aquilo que já tenho preenchido!

Então aproveitem muito bem as orientações os recados das entidades! E quando alguma delas for mais ríspida, rigorosa, ou enérgica com você, é que eles já falaram ou fizeram muito e você não aprende, e como nós temos o péssimo hábito de aprender na dor, assim assimilamos mais rápido. Não se magoe! Pelo contrário, agradeça, pois está tendo a chance de aprender mais rápido!

Palestra as Entidades Espirituais são Terapêutas?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: