Personagens, Máscaras, Amebas?

CRENÇAS E AS PERSONALIDADES

Bom continuando sobre o assunto personalidades que criamos e as crenças que temos que nos impedem de fazer aquilo que queremos e nem nos damos conta disso, vou continuar a descrever as personalidades mais conhecidas

SUPERIOR E INFERIOR

Superior é uma parte que todos nós temos, que nos faz sentir o melhor, especial, maravilhoso, e isso é ruim? Sim, no sentido de que ninguém é melhor que ninguém. Não somos superiores a ninguém. Quando entendemos que possuímos qualidades que nos diferenciam, eu possuo umas, você possui outras, eu desenvolvo um pouco mais, você um pouco menos e vice e versa. Acreditar que é melhor que o outro é um delírio, está fora da realidade. Exemplo: Ter a pele de cor branca e se achar melhor que os outros que tem a pele de outra cor. Ou ainda se achar melhor que o nordestino, pois nasceu na região sudeste.

A parte superior é aquele lado esnobe, arrogante, eu posso ter privilégios sobre os outros, “tem que ouvir o que eu estou falando!” “atenção em mim”, “Eu tenho razão!”.

Já o Inferior é aquele lado, aquela parte mórbida, te que faz acreditar que você é o mais feio, o mais horroroso, um nada, o errado, é o “ERRO”, não é bom suficiente, é sempre o menos. “Nasci com o nariz feio”, “meu corpo é baixo” “sou muito alto”, “sou muito gordo”, “sou muito magro”, “nasci pobre”, “estudei em escola pública”, “não fiz faculdade”, “não sou capaz”.

Te deixa inseguro, com medo, te faz suar, se precisa se expor, falar em público. “Será que vai dar certo?” “Será que vou errar?” “Esse eu não fizer certo?

Quando você está no inferior e encontra uma amiga e vão falar mal de alguém (fofocar), aí o outro é menos, você passa automaticamente para o superior, você se sente superior, não é que você quer o mal do outro, mas quando você coloca o outro no menos você se sente mais, se sente bem, se engana, delira, pois é tudo ilusão, são os altos e baixos emocionais que temos e passamos.

Na real você não é mais nem menos que o outro, somos o que somos, somos todos iguais no mesmo patamar. Estamos aprendendo a nos desenvolver, a evoluir, a criar consciência. Quando estamos no superior, os outros são porcarias para nós. E quando estamos no inferior nós é que somos as porcarias e todos são muito melhores que nós, grandiosos!

Então perceba o quanto de importância você dá para os outros e se coloca para baixo, no inferior. E lembre-se que você está onde você se coloca! Sob a lei de atração, você atrai para sua vida exatamente aquilo que vibra, se vibra que é tapete, será pisado!

Se vibra que é melhor que todos, na arrogância, esnobe, acabará sozinho!

SANTINHO X DIABINHO

Santinho, o certinho, o que faz tudo certo, não pode deixar ninguém esperando, ser o bonzinho, tem pena dos outros, tem muita consideração, as pessoas sofrem, o bonzinho faz sala para as visitas, é extremamente fiel, o santinho disfarça, pois ele nunca faz nada errado!

Diabinho, não é um cruel direto, ele também disfarça, ele sacaneia mesmo, de propósito, com intensão, ele faz pirraça. Exemplo: todo mundo pronto pra sair aí vem o diabinho e fala “não vou mais, não estou me sentindo bem, não quero ir”, e estraga o passeio de todos.

Em outra situação as pessoas conversando e falando coisas legais, bacanas, positivas, aí vem o diabinho contar uma tragédia. Ou o diabinho quer mostrar como o mundo é terrível, quer mostrar a frustração.

Mas por outro lado “como você é bonzinho” e não quer magoar as pessoas, você não vai dizer na cara delas o que você pensa, mas quando a pessoas sai de perto e você encontra a “amiga”, vem o diabinho e você fala: “imagina que ela teve a coragem de me falar isso assim, que fez aquilo e desse jeito!” O diabinho fica indignado com a sinceridade alheia.

Você não vai dar bandeira na frente das pessoas, porque você é bonzinho, não lava a roupa suja, mas por trás, pelas costas você fala! A pessoa sai e você fala mal, porque está magoado, frustrado, faz intriga, é o nosso lado ruim.

O santinho em relação ao sexo, ele é malicioso, sexo para ele é feio, distorcido, é pornográfico, é esquisito, é indecente, ele estremece só de falar, é irônico, dá risada, quanto mais santinho mais malicioso! Quando as pessoas falam em sexo, o santinho já malicia, os olhos até brilham, parecem aqueles diabinhos dos desenhos. Malicia não é esperteza, é se envolver no mal, com os olhos malvados. É aliciar no mal. Virou coisa suja, perigosa, estranha, e para o bonzinho tudo que não é sexo, é espiritual. A muito tempo atrás nos rituais espirituais o ato sexual fazia parte, era natural.

Então perceba o quanto santinho ou diabinho você está, eles são os maiores causadores de preconceitos, julgamentos que fazemos.

HERÓI X VÍTIMA

A ameba heroína é aquela que luta! Que a vida é difícil, onde tudo é complicado com dificuldade, mas na cabeça dela ela está simplificando.

Já a vítima é o retrato da desgraça, a vítima é muito mimada, é coitada, é pequena, sem importância, quer que tenham dó dela, pena, se acha uma deficiente, não pode fazer sozinha, sempre que o mais fácil.

Toda vez que você for fazer algo aparece a vítima e te diz: _ Nossa você vai fazer isso? Nossa você vai até lá? Pega o caminho mais rápido, mais fácil! Porque pra ela tudo é muito difícil, tudo é uma tragédia! É duro lutar! Aí você á passa pro lado do herói.

O herói diz: _ olha o que eu passei por causa daquilo, ou por causa dele! Você acredita ser um herói, porque fez o que todo mundo faz, que é viver! Nascer, crescer, estudar, casar, ter filhos, morrer, faz parte da vida!

Mas a vítima coitada atrai tudo quanto é desgraça, só fala de coisas negativas, aliás ela é a mãe do negativismo. Vive sofrendo, quer que os outros tenham dó. Mas quando a situação termina, ou ela realiza a tarefa, aí logo vem o herói, pra contar as vantagens dos sacríficos que teve de realizar, e quanto lutou pra conseguir isso!

A vítima nega que você tenha a capacidade de realizar, que existem as condições para aprender e mesmo aproveitar as coisas! A vítima se agarra nos outros, suga e quer que o outro faça por ela e para ela, é mimada!

As amebas nos tiram a noção de responsabilidade que temos sobre nós, nossas vidas, nosso sentir, querer e pensar. Quando assumo esta responsabilidade, e paro de dar atenção os problemas acabam, as coisas ficam como tem de ficar acontecem como tem de acontecer, é o que é!

TERRORISTA X ATERRORIZADO

A ameba do terror é aquela que se faz de amiga pra te protege, pra que você não erre, ela vigia, ela advinha o futuro, mas te amedronta o tempo todo! Fala assim: _ cuidado com isso, cuidado com aquilo! Te ataca de repente, por exemplo quando você está sozinho em casa e ouve um barulho ela já começa: _ olha você está sozinho em casa, cuidado, pode ser um ladrão! Esta ameba detesta coisas novas e fala: _ e se você errar…

Já a ameba do dominado é a “Fraca”, ela tem um orelhão enorme porque ela ouve tudo que os outros falam, ela é influenciável, sugestionável, covarde. Exemplo: Quando criança os pais falam: – cuidado, é perigoso. Se esta criança é um espírito sem muita experiência, desenvolve a ameba das fraca.

Outro exemplo é o olhar de terror dos pais! _ Deixa a gente chegar em casa! E este olhar te aterroriza mesmo hoje você já sendo um adulto, você se aterroriza! Mas por outro lado desenvolve a fraca o medroso e vira o mimado!

A fraca pede pros outros fazer porque ela se sente incapaz, ela tem medo, não se responsabiliza e se arma contra as possíveis tragédias que podem ocorrer no futuro. _ E se não der certo? O que eu vou fazer? Como vou fazer? Tenho que tomar cuidado… Isso se chama preocupação! A ameba da fraca inventou a preocupação e ela gasta toda a sua energia mental como uma louca!

Como acabar com isso? Quando você deixa os impulsos de ânimo tomar conta de você! Sabe as vezes vem aquele impulso de realizar alguma coisa e você, vai lá faz e dá tudo certo! É isso! Quando você recalca os impulsos, você traz para dentro abafa e cria as amebas.

IMAGINATIVA X INSATISFEITA

A imaginação é maravilhosa afinal com ela, nós construímos coisas muito positivas. Por outro lado, se mal utilizada, ela cria pensamentos, situações muito negativos.

A ameba da imaginação negativa tem mania de idealizar, dizer como tem que ser, o que deve ser, o que é certo, o que é errado. Quando a ameba olha pra uma pessoa ela já começa a imaginar o jeito de ser da pessoa, ela deve ser assim, deve ser assado! Ou ainda nós entramos na imaginação do outro, quando aquela amiga conta pra você que o marido da outra amiga é horroroso, um chato, que é isso, que é aquilo, e você quando chega na casa da amiga, e olha o cara já fica imaginando, como ele é um monstro! Só que o homem, é simpático, legal, gente boa, a outra que tem uma imaginação negativa, que te passou esta imagem e você acreditou!

A gente fica imaginando o que é ser espiritual, o que é ser evoluído. A ameba da imaginação vai criando os modelos do que “deveria” ser, mas não é! E aí você fica insatisfeita!

Não dá valor ao que tem, fica insatisfeita com tudo, consegue algo e não se satisfaz, porque deveria ter sido de outra forma. De outro jeito, ou outra coisa. A insatisfeita acaba com o prazer, nada tem valor, porque deveria ser, deveria ter, ou deveria fazer. Sua insatisfação pessoal é muito grande, pois o cabelo não é como deveria, o corpo não é como viu na revista, a pele não é como deveria, ou não é igual a da fulana. Porque a outra é mais inteligente, mais esperta, mais bonita e você tá sempre insatisfeita, afinal imaginação te faz olhar para os outros porque deveria ser ou ter! e como sair disso?

Assumir-se! Sou o que sou, como sou, do jeito que sou! Assume-se baseado no sentir, se eu quiser eu faço, eu posso fazer ou aprender se eu quiser

Quantos personagens você criou?

Quando nascemos até numa certa idade estamos desenvolvendo a nossa personalidade.

Ao longo deste caminho, de acordo com as situações que vamos vivendo, temos ações e reações, mudamos de opinião, mudamos de humor, mudamos de atitudes.

Com o passar do tempo, você percebe que passa a ter uma mesma reação diante de uma situação, ou seja, cria um padrão, o fato se repete. Então falamos: “Sou assim”, pronto criou a personagem! Mas não nos damos conta disso não.

O que eu quero dizer é que de acordo com as situações que vivemos, nós vamos criando partes, personas, personalidades, sombras, amebas, formas pensamentos ou até outros tantos nomes que foram dados de acordo com a linha de estudos ou filosofia. E estas partes tornam-se mais fortes e até nos comandam conforme nós as alimentamos, ou damos força!

De que forma fazemos isso? Sempre que afirmamos, sou assim, sou assado, sempre faço, sempre deixo de fazer etc. Vamos nos deixando agir no automático.

Quando acreditamos em algo, também criamos uma parte que vai interagir, falar na sua cabeça, quando algo acontecer que for contrariar a sua crença. Exemplo: se deixar o chinelo virado, você vai ouvir a voz na sua cabeça, “desvira o chinelo, sua mãe vai morrer!” Mesmo que sua mãe tenha já morrido, mas você continua com a crença, vai sentir o medo da perda, e a voz na sua cabeça fica cada vez mais forte.

Temos muitas partes em nós, mas não temos a mínima noção, do que é parte e do que é nossa essência mesmo! E qual importância saber disso? Muitas destas partes simplesmente nos comandam e nos impedem de fazer aquilo que nossa alma quer, que é a nossa essência, estas partes são comandadas por nosso ego, e elas não respeitam nosso sentir, nosso querer, simplesmente vão agindo!

Estas partes foram criadas por nós em algum momento de nossas vidas, pois naquela hora ela teve uma razão, uma função, uma intensão positiva, de nos ajudar, emocionalmente para passar por uma situação, mas quando alimentamos e damos força elas vão para o comando e nos fazem agir de forma que não tem razão de ser. Exemplo: a parte medrosa, quando criança você sentiu medo quando viu uma cena de uma assalto violento na tv, e mesmo que a cena não tenha ocorrido com você, esta parte fala na sua cabeça assim: “não saia na rua, é perigoso, não confie nas pessoas, elas são más”, e você cresce com esta sensação de medo, torna-se uma pessoa medrosa mesmo, covarde e não entende o motivo. Não sai de casa, tem poucos amigos, não gosta de ir a escola, tem dificuldades em relacionamentos, na parte profissional então nem se fala.

Esta parte medrosa, ela tem a intensão positiva de te proteger, mas o meio o caminho que ela usa para isso é que não é inteligente e te atrapalha. Através do medo você acaba sendo paralisado, não realizando tarefas simples ou até mais elaboradas, e fica infeliz, sem entender o motivo.

Ou um outro exemplo mais simples, quando criança sua mãe lhe fala: “não saia na rua sozinho!”, e a partir daquele momento você se torna dependente de ir a rua sempre acompanhado, mesmo não sendo mais criança e sabendo que já pode ir à rua sozinho e que pode se cuidar, mas esta parte sempre vai te falar não faça! E você fica no conflito interno, na sensação do medo e na dependência de outras pessoas para se sentir seguro.

Estas partes geralmente são criadas em duplas, afinal na criação Divina, tudo tem seus dois lados. Se existe a parte medrosa em contrapartida existe a parte “corajosa”, que fica brigando com a medrosa o tempo todo e vira um conflito interno.

Temos muitas partes que podemos ter trazido de uma, duas ou várias vidas passadas. São estruturas mentais que ficam orbitando ao nosso redor, são como se fossem espíritos, que se condensam, criam força, e nos comandam.

Como percebê-las? Se faça um elogio e logo você ouvirá uma resposta, uma voz te rebatendo o que você disse a si mesmo. Esta voz é a sua parte, sua ameba, sua personalidade.

Sabe quando você fala sozinho? Pois é está batendo papo com as suas partes. Ou quando tenta dormir e fica pensando muito e falando com você mesmo e não dorme, quando vai comprar algo, ouve a voz, “compra desta cor, deste tamanho, deste sabor, tá caro, não compra!”

Estas estruturas vão sendo criadas, desde a infância, pelos pais, irmãos, avós, parentes em geral e pessoas que tiveram influência em nossas vidas, como amigos, professores etc.

Como disse anteriormente estas estruturas têm uma intensão positiva em nos ajudar, porém como criamos centenas delas e cada uma quer agir e fazer do seu jeito, da sua forma, vão criando em nós conflitos e não sabemos de onde vem isso. Estas estruturas não respeitam o nosso sentir, o nosso querer, nossa alma, nossa essência, e se não percebemos que estamos sob seus comandos, deixamos de lado nossa essência e vivemos apenas sob o comando do ego, que é o comandante de todas estas estruturas.

No trabalho terapêutico o objetivo é trabalhar estas partes, pelo menos as que são inconvenientes e nos atrapalham em nosso dia a dia, e criando outras partes mais positivas e que realmente possam nos auxiliar. Tomar consciência da existência destas estruturas, quais estão nos afetando mais, deixar de alimentar ou dar força, e como fazemos isso? Deixando de acreditar no que elas te falam, sentir o que você realmente quer? Fazer o que vem da alma!

Ânimus é o que vem da alma, é o que te anima, é o que te dá força, é o que te alegra, é o que você faz com vontade, com prazer! Quando deixamos de fazer o que as partes querem e passamos a fazer e agir da forma que realmente queremos, vamos tirando a força delas e vão desaparecendo.

Pergunte-se o que eu quero fazer agora? O que é importante para mim neste momento? O que eu gosto? Perceba a reposta sentindo e não ouvindo… Desta forma estas estruturas vão se dissolvendo e desaparecendo formando estruturas que fazem você dar mais atenção, e se ligar em você! Ou existem técnicas terapêuticas que identificam e trabalham estas partes em nós de forma bem rápida e eficaz, mas para isso é necessário fazer todo um tratamento, com várias sessões.

Para cada crença que temos é uma estrutura, ou forma pensamento que criamos, damos força e alimentamos com nossos próprios pensamentos e sentimentos. Como disse antes trazemos também estruturas de vidas passadas, pois como são formas mentais continuam ligadas em nosso corpo mental e conforme vamos crescendo e nos desenvolvendo aqui nesta vida, se alimentarmos os mesmos sentimentos e pensamentos, se mantivermos as mesmas crenças, elas crescem, desenvolvem-se e nos mantem no mesmo padrão anterior, ou seja, não mudamos, não crescemos, não evoluímos, pois continuamos fazendo a mesma coisa, e temos sempre o mesmo resultado.

Mas trazendo agora para o lado mais leve engraçado, vou fazer a descrição de algumas destas partes:

DOMINADOR X DOMINADO

Dominador diz assim: “você tem que”, fazer isso, organizar, você é cheio de dúvidas, você idealiza, e força a ser esse ideal. Exemplo: se eu quero que você goste de mim, que me ame, eu vou te agradar, eu vou observar, ver o que você gosta e vou tentar fazer igual a você.

Você tem que fazer, “senão” vai ficar sozinho, as pessoas não vão te aprovar.

O dominador localiza-se em nossa nuca, comprime, pesa, senta-se em nossos ombros, ao redor do nosso pescoço e chega até balançar as perninhas de tanto que fala na sua cabeça.

“Tem que fazer”, “tem que ser assim”, “tem que isso”, “tem que aquilo”, “senão”, cria uma ameaça, te oprime, te coloca pra baixo, ele ignora que você tem vontades e sentimentos e principalmente vontade própria, o dominador só quer que você faça do jeito dele, quando e onde ele quer!

Porém se há um Dominador existe também um Dominado.

Dominado existe porque você acredita nele, dá força, e aceita a autoridade dos pais ou dos professores por exemplo, e continua agindo como se fosse uma criança, pois naquele período era necessário aprender a obediência, mas hoje no período adulto, você se acostumou e age da seguinte forma: dando desculpas para não fazer, fica cansado, “não consigo”, “não dá”, “deixa para amanhã”. Ele tem uma força incrível sobre seu corpo físico, você fica com febre, doente só para não fazer o que o outro está mandando.

Quanto mais o dominador ordena mais o dominado resiste, os dois funcionam juntos, quando um ativa o outro se ativa também. “você tem que fazer isso” “Ah, mas estou tão cansado!” “Não gosto disso” “Coitado de mim”, Um empurra e o outro breca. Isso causa stress, cansaço, você fica moído, esquece as coisas, pois eles dominam a memória.

Um não tem a menor consideração por você e o outro te defende, só que fica na defesa e nega o direito de você ser você, não respeitam o seu querer, o seu sentir.

Como fazer para se livrar de tudo isso? Prestando atenção no que te anima, no que vem da alma, no seu sentir, no seu querer real! Preste atenção quando você mesmo disser: “tenho que”, “não consigo”, aí vai cair a ficha e saber que é uma parte no comando. Não brigue com ela, pois se brigar vai dar mais força. Não lute, apenas pensa “Há danadinha…querendo me comandar…dê risada, brinque e sinta o que você quer fazer e siga seu sentir! Mas tome cuidado para não cair no lado oposto, afinal se há o dominador, tem o dominado!

Na próxima semana vou continuar falando destas estruturas como elas agem em nós e o que fazer para elas se dissolverem

Os Números Transformam!

Você já parou para pensar que os números estão em tudo na nossa vida?

Tudo tem medida, peso, altura, profundidade. Contamos a idade, o tempo das coisas, período de duração, horas, dias meses, anos.

Usamos medidas em receitas na culinária, tamanhos em etiquetas das roupas e sapatos, nosso peso, nossa altura enfim…

Para tudo existe um número como referência. A milhares de anos os números foram estudados e foi descoberto a sua energia e influência em nossas vidas, (afinal tudo é energia, rs), quando levamos este estudo dos números a sério e descobrimos a influência que eles têm em nossas vidas, realizamos mudanças fantásticas!

Pitágoras foi um dos maiores estudiosos sobre números e seus significados, mas cada povo desenvolveu um sistema próprio relacionando letras e números, avaliando assim os nomes de sucesso ou fracasso, faziam previsões para o futuro das pessoas e das entidades.

Quando realizamos o estudo no mapa numerológicos pessoal, descobrimos nossa missão, como nos expressamos, a essência da nossa alma, a interpretação da nossa personalidade.

Desde forma fica muito mais fácil percorrer o caminho de vida e destino, orientado pelo plano de temperamento, conhecendo assim as características do nome, o estudo das letras, das data de nascimento.

Podemos fazer previsões dos períodos da infância, juventude e maturidade, quais os desafios que enfrentarem e em qual período da vida.

No ano pessoal temos a orientação de cada energia, para projetos, relacionamentos, amizades, viagens, empreendimentos profissionais e muito mais.

Conhecer a energia dos números, referente a cada uma das letras do nosso nome e o estudo completo com a data de nascimento, temos um mapa para nos orientar por todo a vida!

Quando fazemos este estudo com crianças antes do nascimento, temos uma orientação, embora não completa, pois somente com a data de nascimento é que teremos um trabalho específico. Mas que já auxilia e muito para nos orientar sobre sua personalidade e modo de ser.

Mas como diz o ditado “antes tarde do que nunca”, fazer o mapa numerológicos pessoal, é importantíssimo para compreendermos muitos aprendizados que temos para esta encarnação.

Muitas vezes estamos infelizes, não acertamos numa profissão, não entendemos situações que se repetem e falta compreensão do motivo e com o mapa vamos nos orientando e aprendendo a superar cada um desses desafios.

Enfim, saber da energia dos números é importante para tudo, a placa do carro, o número da nossa casa, o nome da empresa, se o parceiro (a) combina com você, pois acreditando ou não os números têm a sua energia e influências próprias e atuam o tempo todo em nossas vidas.

Em breve aqui no NEEFF, teremos um curso de Numerologia com o Mapa Completo, um estudo profundo e muito proveitoso. Além de gerar uma renda extra para você, pois todos querem saber das suas previsões e solicitam seus mapas pessoais.

Será um curso com 8 encontros, e você vai aprender a calcular e interpretar seu mapa pessoal completinho! Com início para o dia 25/06 terça-feira às 20:00 hs. Para maiores informações acesse nosso site www.neeff.com.br ou pelo nosso whatsapp 11 95292-8837.

Aproveite esta oportunidade de realizar este estudo que vai mudar a sua forma de viver e de todos aqueles que você auxiliar também!

Tudo é Energia

Todo o universo é formado por energias. Para nós encarnados vemos e percebemos estas energias na forma materializada, ou seja, em estado denso, sólido.

As energias no plano espiritual são elétricas, e aqui em nosso planeta são magnéticas. Por isso falamos que vivemos sobre ondas eletromagnéticas.

Vamos relembrar as aulas de geografia, lá no tempo da escola. No centro do nosso planeta, existe uma camada de magma, ou seja, a temperatura é muito alta. E este magma tem uma energia de atração (magnética).

É por causa deste magma que estamos fixados no planeta, não ficamos soltos, voando.

Os elementos que conhecemos são formados por átomos, os átomos são formados, pelos nêutrons, elétrons e prótons. Os elétrons ficam rodando ao redor do núcleo do átomo, e os elétrons ficam orbitando numa velocidade muito alta, sem se chocar um no outro.

Os cientistas antes acreditavam que o átomo era a menor partícula do universo, ou a menor coisa que existia. Mas eles conseguiram dividir o átomo, quebrar e separaram os elétrons, e foram quebrando estes elétrons e chegaram na menor partícula do universo que é o quark, um elétron é formado por 3 quarks.

Quando tentaram quebrar o quark, não sobrava mais nada, só um campo de energia. Neste campo se colocar energias, vai formando matérias, ou melhor. No campo se for densificando colocando energias, vão formando elementos que se materializam, a matéria vai ficando mais lenta, pesada, a energia vai ganhando forma, peso, etc., e vai materializando, quanto mais denso, pesado, mais lento a velocidade dos átomos e mais sólida a formação da matéria. Quando vai perdendo matéria, vai acelerando, aumentando a velocidade, vai desmaterializando, voltando ao estado de somente campo de energia, perde matéria.

Depois do quark não existe nada! Só o campo de energia, o vácuo quântico, que uns chamam de deus, sopro divino etc. Um nada de onde vieram todas as coisas, sobre a ótica científica.

Então aqui para nós o que importa é saber que para existir a matéria é preciso desacelerar, densificar, aglomerar, aglutinar, juntar elementos, para formar, átomos que formam as coisas na matéria.

Vamos lembrar que toda matéria emite uma vibração, pois é formada por energias, que estão aglomeradas, formando um conjunto que tem uma vibração própria.

Nós seres humanos emitimos energia pois somos formados por corpos de energéticos, onde o conjunto deles formam nossa aura e ela emite uma vibração.

Quando nós sentimos raiva, mas muita raiva, o corpo acelera, aumenta seu batimento cardíaco, aumenta a respiração, aumenta a pressão arterial, aumenta a temperatura do corpo. Tudo aumenta! Lembra que se aumenta a velocidade vai entrando em estado de desmaterialização? Vai perdendo matéria e vai voltando para o estado de campo de energia?

Então nosso corpo físico em muitos casos não suporta este aumento de velocidade, pois nossos átomos, nossas células vão sendo afetadas e vão aparecendo os desequilíbrios, que conhecemos como doenças.

Quando aumentamos a velocidade, danificamos a matéria.

Por isso se fala tanto na importância de relaxar, de meditar, para diminuirmos a velocidade da nossa vibração.

O planeta tem uma vibração e todas as coisas também, e o melhor, o ideal, é que estejamos em sintonia com esta vibração, ou pelo menos o mais aproximado possível.

Estas energias vão se acumulando e formando as faixas vibratórias. Existem aparelhos para medir a frequência da vibração da energia, ou seja, a velocidade.

Frequência é a medida da velocidade da vibração formada por energias. Quanto mais rápida, maior a frequência vibratória, quanto mais acelerados estamos, maior a nossa frequência e nos afastamos do nosso estado natural.

Existem vários tipos de energias no universo e que formam faixas vibratórias, onde uma não interfere na outra. Um exemplo disso são as ondas de rádio, onde vamos medindo com o seletor da frequência.

Existem hoje em dia uma grande variedade de ondas vibratórias com funções, umas muito benéficas, outras até mortais, caso tenhamos contato direto com elas.

Sabendo disso que emitimos energias e temos uma frequência vibratória própria, podemos começar a observar o tipo de energia que nós atraímos também.

Tudo é energia e tudo funciona por sintonia. Tudo funciona por atração da frequência vibratória.

Quando desencarnarmos, seremos atraídos para uma faixa vibratória na mesma sintonia da qual nós vibramos. Portanto não existe vítimas no universo.

Aqui nós até conseguimos disfarçar a nossa energia, aqui estamos cobertos pelo corpo carnal e nossos olhos materiais não têm o ajuste para vermos a energia que cada um emite. Mas no plano espiritual não existem máscaras.

E isso também serve para que a gente faça uma avaliação da nossa vida, que tipo de coisas, situações, pessoas, fatos que atraio para minha vida. São coisas e pessoas bacanas? Positivas? Aprendo e compartilhamos coisas, pensamentos, sentimentos positivos? Ou são negativos, pessoas que só reclamam, se queixam, pra baixo, negativas?

Que tipo de energia estou alimentando? Que tipo de situações estou atraindo?

E como estou atraindo tudo isso? Através dos meus pensamentos, dos meus sentimentos.

Prestando atenção no que penso e sinto é a forma de começar avaliar a minha energia. Nossos pensamentos têm 5% de força, mas nossos sentimentos, magnetizam 95% das coisas. Então prestar atenção ao que sente é o mais importante.

Então se queremos ter resultados diferentes, preciso ter atitudes diferentes, que gerem sentimentos diferentes.

Me fazer mais feliz, é o primeiro passo para estas mudanças.

Fazer o que gosto, dar atenção ao que eu quero, me valorizar, para de me julgar, de me criticar.

Aceitação é a primeira coisa, sou como sou!

 posso melhorar? Sim!

Quero melhorar? Quero mudar?

Tudo é escolha, saber lidar com as escolhas é saber aceitar os resultados, afinal tudo é energia!!!

Prosperidade

Agora é moda, virou febre falar que tem a fórmula mágica para que você tenha a “tal prosperidade”.

Cursos e mais cursos, e as pessoas enlouquecidas, correndo atrás do milagre da riqueza!

Prosperidade é um conjunto de fatores de atitudes, que você vai cultivando em sua vida, não é algo instantâneo, com uma fórmula mágica que você faz e pronto! Prosperidade não é um botão que você aperta e ativa.

Muitos acreditam que prosperidade é ganhar dinheiro, e não é! O dinheiro faz parte deste conjunto de fatores que falei, mas é só uma parte. Prosperidade é abundância infinita, em todos os setores da sua vida!

Se você tem dinheiro, mas não tem saúde, não é próspero. Se você saúde e harmonia familiar, mas não tem dinheiro, também não é próspero.

Prosperidade é o equilíbrio em todos os setores da sua vida. Saúde, harmonia familiar, social, afetiva, etc.

Agora ganhar dinheiro é consequência, nem todos que tem dinheiro, ou bens materiais são prósperos. Dinheiro e prosperidade são coisas distintas.

Como falei a prosperidade você cultiva, com seu comportamento, seu sentimento, seu pensamento, sua vibração. Ou seja, a Lei da Atração atuando e atraindo as coisas materiais para sua vida. Mas aí você pode até pensar, mas eu não quero passar por dificuldades, falta de dinheiro, eu quero sim ter dinheiro!

Só que lá no fundo, desde criança, desde pequeno, você ouve e acredita em coisas que te impedem de ganhar dinheiro, mas você nem tem noção disso! São as crenças negativas, limitantes e sabotadoras, que alimentamos e nem sabemos, o quanto elas nos atrapalham!

Por exemplo: se você acredita que os ricos são maus, esnobes, arrogantes, corruptos, insensíveis, etc. Você não vai querer ser rico, afinal você não gosta destas coisas que os ricos fazem com os outros! Não! Você é bom!

Aí pergunto: como você vai atrair dinheiro para sua vida? É conflitante isso, contraditório!

O próprio Universo fica confuso! Então quando você começa a crescer, ganhar mais, enriquecer, algo acontece e para tudo! Ou acontece um imprevisto que te faz gastar muito além do esperado, entre outras coisas que te fazem ter prejuízos! E sabe por qual motivo? Por causa das suas crenças negativas que você alimenta e atraem a vibração de não ganhar dinheiro, pois você é bom e não vai se tornar rico, para não ser igual “aqueles maus”!

Também existe um outro fator, que cada um de nós quanto ser humano individual, vivenciando seu projeto de vida, não vamos obter o mesmo resultado.

Quero dizer que mesmo que 100 pessoas façam o mesmo curso, realizando as mesmas tarefas, todos os dias por um período de 1 ano, por exemplo, os resultados serão diferentes, pois cada um tem um tipo de energia, de vibração, de crença, e principalmente, cada um tem um compromisso espiritual!

Concordo que todos nós, quanto seres humanos encarnados tenhamos o mesmo direito de aprendizado, pois o conhecimento está aí para quem quer aprender. Mas só vai ter acesso a estas informações quem realmente precise aprender algo com isso! Mesmo que seja para aprender a não se frustrar! Isso mesmo! Pois cada vez que criamos expectativas, em relação a algo, alguém e nossa expectativa não é correspondida, nós nos frustramos! Quando somos contrariados, nos frustramos! Frustração faz parte do nosso aprendizado!

Afinal cada um tem uma missão na vida, e nem todos nascem para ser milionários! Acredito sim que todos tem o direito a aprender como mudar seus pensamentos, sentimentos, cuidar e tratar das suas dores, bloqueios, crenças, e tomando consciência, aí sim, você torne-se uma pessoa próspera e feliz! Mas porque adquiriu consciência, e consequentemente evoluiu, ou seja, mudou de um estágio para outro. Isso é evolução e quando você se torna um ser mais consciente, você passa a ter mais liberdade, consciência cura, equilibra, eleva!

Estude sim o comportamento de como se tornar próspero! Pratique a integridade, a honestidade, a bondade, a caridade. Não tenha medo de ganhar dinheiro e se tornar alguém horrível, pois se isso acontecer é porque tudo de mais horrível já está dentro de você, e o dinheiro só faz aumentar isso! A pessoa que quando ganha dinheiro, passa a humilhar os outros, ou ter qualquer comportamento negativo em relação as outras pessoas é porque ela já era assim, e o dinheiro só fez crescer isso nela, afinal, dinheiro dá poder!

Faça cursos e estude, mas com a consciência de que milagres ou fórmulas mágicas não existem! Que tudo leva um tempo para maturar. Quando você trabalha suas crenças negativas, limpa, seu emocional, seu mental, muda sua maneira de ser, agir e pensar, leva um tempo para que este espaço que ficou vago, seja preenchido com as novas informações positivas e que elas, levem um tempo para vibrar numa nova frequência, atraindo coisas diferentes! Não seja imediatista, plantando hoje a semente e já querendo amanhã ver a planta brotar! Aguarde, tenha fé e confie!

Ser Humano, o que é isso?

Sabemos que somos seres espirituais, formados por várias partes, corpos energéticos, mas hoje vou falar mais da parte física, neurológica, cerebral, psicológica.

Quando estudamos programação neurolinguística que é o campo que permite aprender o funcionamento, a dirigir e a comandar o seu próprio cérebro. Seu conhecimento poderá ajudá-lo a se tornar uma melhor pessoa e um melhor profissional.

Até hoje, sem que você soubesse, você foi se programando e sendo programado, cada vez que você, ou alguém, intuitivamente, usaram uma sequência de programação. Sua sequência de programação corresponde à ordem em que os dados são “percebidos” por você.

O cérebro: é um possante e perfeito computador que opera com o equivalente a 20 bilhões de bits. Nele se acumulam informações ligadas à aprendizagem em nível individual, social e genético. Nosso objetivo será tratar das aprendizagens individuais e sociais que, por serem adquiridas, são cambiáveis e ampliáveis.

As informações com que o cérebro trabalha têm origem na realidade. Os canais de recepção, ou imputs, são os cinco sentidos: visão, audição, tato, olfato e paladar.

Modelo de mundo: a partir das experiências individuais e sociais que nos chegam através dos cinco sentidos formamos nosso modelo de mundo. Este corresponde às nossas “representações” da realidade. Criamos um mapa, um modelo da realidade para nos guiar no mundo e para orientar nosso comportamento. A representação do mundo determina, em grande escala, como percebemos o mundo, bem como o que iremos perceber e experimentar. Determina também que escolhas teremos à nossa disposição. Em outras palavras, o software de cada um. Há uma diferença necessária entre a realidade e o que cada um “acredita” ser a realidade.

Processos universais de aprendizagem:

Generalização: é o processo de transformar a parte no todo. Nossa habilidade de generalizar é essencial para aprender rápida e eficazmente. Mas muitas vezes utilizamos isso para criar uma realidade “não real”. Ex: todo mundo é assim.

Eliminação: é o processo de seleção dos aspectos da realidade em que vamos prestar atenção. Escolhemos o que vamos ouvir e/ou sentir. O processo de eliminação ocorre tanto para formar o modelo de mundo de onde a parte da realidade que não nos interessa foi eliminada) como para mantê-lo, eliminando as partes da realidade que o contradizem.

Distorção: é o processo que nos permite fazer substituições em nossa experiência sensorial, isto é, o meio pelo qual “interpretamos” a realidade. Essa interpretação pode ser útil ou inútil, adequada ou inadequada.

E temos também três sistemas representacionais ou linguagens neurológicas

O cérebro recebe as informações para alojá-las em si. O modelo de mundo individual é modelado no cérebro, dependendo dos canais de percepção, que receberam a informação.

Se o registro foi através de imagens, formas, cores e dimensões, a informação, será provavelmente, representada visual.

Se o registro foi de sons, palavras ou tonalidades, a representação, provavelmente, será auditiva.

Se a informação chegou como separação tátil, olfativa, gustativa ou como movimento (interno ou externo), a representação, provavelmente será sinestésica.

Cada um de nós temos estes canais, porém um sempre mais exaltado, pelo qual nosso cérebro se guia.

Modelo de mundo visual:

A pessoa processa visualmente, literalmente, vê cenas de seu passado, presente ou futuro em sua mente. Por exemplo: qual a cor da toalha que estava semana passada no seu banheiro? Só os visuais” enxergarão” a toalha e a cor. Quais foram suas férias mais interessantes? Só os visuais estão agora “vendo” o local, as pessoas que compuseram o cenário de suas férias.

Então as pessoas que tem o canal visual como referência, tenderão a ter a estética como um valor, a ordem e a limpeza, para eles estes valores são importantes e necessários. Dão pouca importância a valores como harmonia, a lógica, o prático, o funcional e o objetivo, assim como aos sentimentos e sensações (próprios e dos outros).

Crenças: o bom = é o mais bonito 9ser humano, carro, sapato)

O certo = é a arrumação e a limpeza (da casa, do escritório, dos filhos, etc)

Exemplos de gostos e interesses: tv, leitura, decoração, moda, desenho, organização, com normas rígidas (exercito, religiões oficiais, partidos políticos de extrema direita ou esquerda), receitas de bem-estar, previsões, chefia de gerência, joias, grife, artes plásticas.

Frases com palavras processuais:

Minha vida é um livro em branco.

Estou roxa de raiva.

Ela é uma profissional brilhante!

Está claro?

É o menor custo possível.

Tenho um passado limpo.

Longe de mim tal ideia.

Perto dele me sinto pequena.

Outros dados:

Respiração: torácica

Postura: tensa

Movimentos corporais: rápidos

Pressão arterial: tendendo à alta

Pulsação: tendendo a taquicardia

Piscar de olhos: raro

Gestos: explicativos e apontando os olhos

Voz: alta

Ritmo da fala: rápido

Modelo de mundo auditivo:

A pessoa que processa auditivamente, literalmente ouve sons e palavras de seu passado, presente e futuro em sua mente. Por exemplo: quais as primeiras palavras que você disse hoje, após acordar? Só os que representam auditivamente a informação “ouvirão” a si mesmos repetindo aquelas palavras. Qual dentre suas viagens de férias, foi a mais interessante? Só os auditivos estão agora “se dizendo” qual o local e as pessoas que fizeram parte de suas férias.

Valores:

Lógica, o bom senso, a negociação, o prático, e o funcional. Valores importantes e necessários. Elas tenderão, contudo, a desconsiderar, ou dar pouca importância a valores como estética, ordem e limpeza, assim como os sentimentos e sensações (próprios e dos outros).

Crenças: o bom = mais prático (ser humano, carro, sapato, etc)

O certo = é o diálogo (em casa, no escritório, com os filhos, etc).

Gostos e interesses: com grande probabilidade a pessoa que representa a realidade auditivamente gostará de experimentar situações que impliquem em discursos, palavras e sons. Exemplos: conversar, ouvir conversa, discursos, música, teorias, negociar, ouvir rádio, predições, poesias, etc.

Palavras processuais auditivas:

A vida, para mim, é uma interrogação

No silêncio de seu coração habita a paz

Estou alarmado com certos fatos

Seu vestido era de uma cor muito berrante

As diferenças são gritantes

Acabo de ter um click

Outros dados:

Respiração: torácica – abdominal

Postura: média

Movimentos corporais: médios

Pressão arterial: tendendo para a média/alta

Pulsação: tendendo à média

Piscar de olhos: frequente

Gestos: apontando os ouvidos e a boca

Voz: média

Ritmo da fala: médio

Modelo de mundo sinestésico:

A pessoa que processa sinestesicamente vive no presente, o que é fantástico, algumas vezes; terrível, outras. Qual o cheiro mais agradável que você já sentiu? Lembra como você estava se sentindo ontem? Como você acha que vai se sentir quando estiver em contato com aquela pessoa? Só os que processam sinestesicamente sentirão o cheiro, ou o mal ou o bem-estar, e o sentirão agora! O modelo de mundo preferencialmente sinestésico pode determinar decisões conscientes, tidas como baseadas em fatos “reais”, “verdadeiros”, a respeito de si mesmo e do outro, tais como: sentimento de culpa, de rejeição, de medo de raiva, bem como comportamentos agressivos e destrutivos como respostas às sensações de mal-estar. A recíproca também é verdadeira. Lembrar sensações ou criá-las é torná-las de novo presentes. Que tal contrabalançar um momento presente que nem sempre é agradável com lembranças de estados do passado e criações de estados futuros agradáveis? Afinal quem decide no que você vai pensar? Você, não é?

Valores:

Tenderão a valorizar as relações afetivas, o bem-estar e o prazer físico. Valores importantes e necessários. Mas elas tenderão a desconsiderar ou dar pouca importância ao que ouvem, ao que dizem e ao que pensam, além de desvalorizarem a estética, a ordem, a limpeza, e o pensamento lógico.

Crenças:

O bom = é o mais gostoso (ser humano, carro, sapato, etc)

O certo = é o contato – com o tato (em casa, no trabalho, com os amigos e filhos/pais).

Gostos e interesses:

A pessoa que representa a realidade sinestesicamente gostará de experimentar situações que envolvam comida, sexo, carinho, conforto, restaurantes, perfumarias, motéis, hidromassagem, ginástica, balé gentes, dançar, casas gostosas, roupas frouxas, sapatos sidewalk (ou tênis) etc.

Palavras processuais sinestésicos:

Ela é uma pessoa tão doce!

É duro ficar sem você

Essa roupa é chocante

Estou babando de vontade de viajar

Estou amargurada

Os preços estão salgados

As coisas estão andando bem

Outros dados:

Respiração: abdominal

Postura: solta, relaxada, flexível

Movimentos corporais: lentos

Pressão arterial: tendendo à baixa

Pulsação: tendendo à baixa

Piscar de olhos: lento

Gestos: muito lentos e toques em si e nos outros

Voz: baixa

Ritmo da fala: lento

Portanto é muito importante sabermos que tipo de canal preferencial é o nosso, e qual canal preciso desenvolver, afinal o ideal é ter o equilíbrio entre os canais em mim. Desenvolver as modalidade ou habilidades dos canais que estão mais em baixa.

Desta forma conseguimos perceber a forma das pessoas ao nosso redor, dos nossos filhos, dos colegas de trabalho, dos meus clientes, dos meus chefes, e a minha comunicação se torna mais eficaz e efetiva, ou seja obtenho melhores resultados.

Não adianta querer vender um carro para um sinestésico, falando da cor maravilhosa, ou de quanto é econômico. Ele só quer saber se o carro é confortável.

Ou vender uma lata de tinta para um visual, falando que ela não tem cheiro forte. Ele quer saber da tonalidade da cor.

Este é um estudo que se bem utilizado nos orienta a melhorarmos em nosso relacionamentos pessoais, sociais e profissionais, ou melhor ainda, em todos os tipos de relacionamentos.

Aqui hoje só pincelei, algumas coisas sobre este estudo que é profundo e muito sério. Em breve trago um pouquinho mais!

Quem não deve, não teme!

Hoje estou falando de Integridade, sabe qual o significado desta palavra?

Integridade é aquilo que você faz certo, mesmo que ninguém esteja vendo. Integridade tem um sentido bem amplo, integridade envolve, honestidade, verdade, retidão, atitude.

Quando uma pessoa é integra, percebe-se por suas atitudes, ela cumpre seus compromissos, cumpre sua palavra, e quando por algum motivo ela não pode fazer o que disse que faria, avisa com antecedência, pergunta se haverá algum prejuízo e ainda se precisa arcar com alguma despesa. Ou seja, a pessoa se coloca no lugar do outro, e faz tudo para que o outro não seja prejudicado, já que ela não conseguiu cumprir com sua palavra.

Integridade é quando você paga as suas contas em dia, pois realmente acredita que os serviços prestados e os prestadores de serviço merecem o seu pagamento em dia, afinal trabalharam para que ele fosse beneficiado. Integridade é a pessoa que sabe, que atrasar “umas continhas”, só para se divertir um pouquinho, e depois dou um jeitinho de pagar, não é a forma certa.

Integridade é não fazer ao outro aquilo que não quero para mim.

Integridade é não usar produtos piratas, que não pagam impostos, só por que o valor é mais baratinho, e ninguém vai saber mesmo…

Integridade é não mentir, ou se fazer de “verdadeiro”, na frente de uns e por trás falar mal, apontar defeitos, julgar, ou mesmo, fazer isso só em seu pensamento, fazendo de conta que está tudo bem, fingi para si e para os outros.

Não dá para ser mais ou menos integro, ou é ou não é!

O que podemos é exercitar a integridade até alcançarmos a sua totalidade, e que passe a ser algo natural no meu comportamento.

Dentro da espiritualidade, sou integro quando respeito as normas da casa que me acolheu, respeito meus irmãos, e principalmente os dirigentes. Cumpro com meus deveres, sem achar que estou sendo explorado, realizo meu trabalho com dedicação e amor.

Agora aqueles que chegam nos terreiros, apontam defeitos nos irmãos, apontam defeitos nos dirigentes, apontam defeitos na casa em geral, ficam insatisfeitos, saem da casa, pulam pra outro lugar. Na nova casa ficam por um tempo, mas logo os defeitos aparecem e ele já novamente insatisfeito sai deste local. E assim vai pulando de casa em casa, até que cisma de abrir a sua própria casa!

Integridade é quando o médium tem a capacidade de esperar e aceitar as ordens do altral, sejam elas para que ele seja um bom filho, um bom médium, realizando um trabalho de instrumento da Lei e da Justiça Divina.

Ou até mesmo quando vem a ordem para que seja um dirigente espiritual e abra a sua própria casa, só que aí a própria espiritualidade, é que prepara este médium de forma fechada e reservada, para que ele aprenda, exercite, as vezes o médium fica trabalhando de forma reservada por anos, até estar bem preparado, já recebeu as orientações dos fundamentos da nova casa, como será, por qual motivo será, e com que elementos, como fazer, etc…

Integridade é saber amadurecer de forma certa, correta, com retidão de caráter, atitude positiva, ser verdadeiro com os outros e com sigo mesmo. Integridade é valorizar o trabalho alheio e o seu. Integridade é fazer porque é bom, e justo para todos, não só para uns e outros.

Exercite a integridade! Comece sendo integro com você mesmo! Não minta para você! Não seja falso com você! Não trabalhe com algo que não gosta, só pelo dinheiro, isso é se vender, é ser corrupto! Valorize seus sentimentos, seja integro com o seu sentir, siga o que a sua alma quer!

Para finalizar, integridade é um modo de vida! É um conjunto de valores que formam o caráter de uma pessoa, suas atitudes, a maneira que trata os outros, trata a si, a tudo e todos, de forma natural, pois entende que assim é e assim será, e quanto mais integridade eu pratico, mais pessoas, coisas e fatos com a mesma energia eu atraio em minha vida. A prosperidade em todas as áreas é só um dos resultados da integridade.

Portanto quem não deve não teme! Se é assim, ótimo! Se ainda não é, mas quer isso em sua vida, treine, até se tornar natural em seu comportamento, pensamentos e sentimentos!

Palestra as Entidades Espirituais são Terapêutas?

Dando continuidade ao projeto Eureka, com as palestras gratuitas, mas com muito conteúdo informativo, para que você seja libertado da ignorância, sim pois o conhecimento liberta e dá poder.

Se analisarmos, verdadeiramente a única coisa que levamos daqui do plano material é o conhecimento, o aprendizado. Nossos sentimentos, emoções fazem parte desta bagagem, afinal tudo fica registrado em nosso mental.

E este fator é o principal que vai definir para onde vamos após o desencarne, através da vibração, seja ela positiva ou negativa, portanto, não há vítimas no Universo!

Por mais difícil que possa parecer, compreender isso e aceitar, é o primeiro passo para seu verdadeiro crescimento, amadurecimento, saber que é responsável por tudo, por toda a sua vida, em todos os sentidos.

Responsabilidade é a chave!

Mas o que as entidades espirituais, aqui me refiro, as que nos orientam, nos terreiros, nos centros espíritas, e nos atendem tem a ver com isso?

Nada! E ao mesmo tempo tudo!

Existem pesquisas que comprovam que mais de 80 % das pessoas que procuram ajuda nestes locais, não possuem nenhum tipo de influência espiritual negativa. Ou seja, não precisariam de uma desobsessão, ou um transporte, ou um descarrego, ou uma quebra de energias negativas.

Não estão sendo atuadas com magias, ou macumba feita, como gostam de dizer.

É sempre muito mais fácil, imaginar que existem forças tenebrosas negativas atuando contra a minha vida, a tal maré de azar, a nuvenzinha da “Familia Adans”, me rondando e fazendo tudo dar errado na minha vida.

Aí eu brigo em casa com a minha família, ou melhor, meus familiares brigam comigo, minha mulher pega no meu pé, por exemplo, porque cheguei mais tarde, tomei umas a mais e nem avisei onde estava. Ou meu marido, reclama que o jantar não está pronto, só porque fiquei batendo papo na internet com as amigas, ou pior, só fiquei investigando a vida alheia no Instagran ou Facebook… afinal eu tenho de me manter atual das notícias! Ou meus filhos não dão sossego, querem atenção, e eu já mando, calar a boca logo!

Lá no trabalho meu chefe não dá paz, meus colegas ficam fofocando o tempo todo, falando mal de alguém e eu para não ficar “de fora” parecer antissocial, acabo me distraindo e atraso minha parte no meu serviço.

Ou ainda quando vou dar uma voltinha para distrair, vejo uma coisinha numa loja, entro olho e penso, não posso viver sem isso! Tenho de levar! Pago no cartão e depois eu vejo o que faço. Aí quando a fatura chega, é aquele desespero! Afinal eu só fiz isso umas vezes durante o mês e era tão baratinho, e eu estava precisando! E eu tenho que me fazer feliz, foi orientação das entidades! Me falaram pra eu me cuidar e fazer o que gosto!

E assim agindo como um rolo compressor, passando por cima de tudo e de todos, vamos vivendo nos enganando, fingindo que está tudo bem…, mas que tem macumba feita pra mim tem! As brigas em casa só aumentam, meus filhos enchem a paciência, meu trabalho tá horrível, e as minhas finanças então, melhor nem falar! Mal ganho pra comer! Sou uma pessoa tão boa! Não mereço isso que está acontecendo!

A pessoa vai vivendo culpando a tudo e a todos ao seu redor, mas nunca para, para refletir sobre a sua maneira de agir, de falar de pensar. Não se responsabiliza por nada que diz ou faz, mas é tudo culpa dos outros mesmo! Então eu tenho de procurar algum lugar pra acabar com esta macumba na minha vida!

Aí a criatura vai por exemplo a um terreiro de camdomblé o Babalorixá diz que tem de jogar búzios pra ver o que está acontecendo (aí a fatura do cartão já aumenta né), e aí vem o resultado! Sua vida tá toda complicada mesmo, cheia de demandas que fizeram pra acabar com a harmonia familiar, te tirar do emprego, e falir, e em breve uma doença muito grave vai aparecer!

Só que a pessoa não se dá conta que tudo que estão falando pra ela, foi ela mesma que disse que estava ruim na vida. Fica apavorada e pergunta logo:  Meu pai, então o que eu tenho de fazer pra acabar com isso? Aí vem o “golpe de misericórdia”, banhos, trabalhos, ebós e mais despachos, urgentes!

O cidadão sai daquele local enlouquecido, arruma dinheiro emprestado, faz tudo o que foi pedido e pensa: pronto, tô livre!!! Acabou meu sofrimento! Vida nova!!!

Mas a pessoa continua vivendo da mesma forma agindo do mesmo jeito, atraindo as mesmas situações, que vão se repetindo e a vida enrola mais ainda! Então o cidadão procura agora outro local, afinal aquele eu paguei caro e não resolveu nada! Porcaria de lugar! Só me exploraram!

Vai a um outro terreiro, de Umbanda por exemplo, toma passe, conversa com as entidades, recebe um monte de orientações, sobre mudar a maneira de ser, melhorar sua energia, cuidar dos vícios, parar de gastar sem necessidade, e ainda ganha velas para acender em casa, ou quando é solicitado que faça algum outro trabalho, tome banhos, faça orações. Sai do local se sentindo até melhor. Mas lá no seu pensamento tá assim: que porcaria, não me cobraram nada, lugar fraquinho! Imagina se um banho de erva ou acender vela vale de alguma coisa! Perdi meu tempo! Me disseram que não tem nada de negativo feiro contra mim! Marmotagem! Mentirosos! Nunca mais volto aqui!

Então resolve procurar mais um local, afinal a carga tá grande e me dizem que não tem nada! Imagina! Vê se pode! E assim vai pulando de casa em casa, de religião em religião, até se tornar totalmente sem fé, descrente, porque lá no Kardecismo quando a pessoa foi, disseram que ela tinha de fazer a reforma íntima! Mudar, imagina, eu ter de mudar! Quem tem de mudar são as outras pessoas!

Mas enfim ela encontra a salvação!!! Agora sim encontrei um lugar bom! Aqui todos os meus pecados já estão pagos! Passei pelo culto da oração de descarrego, comprei o azeite e o sal bendito para a proteção da minha casa! Estou ungido! E nada é mais forte que “Meu Deus”!

Só preciso pagar o dízimo mensal, afinal vou garantir a minha vaga no céu! Então preciso mesmo, economizar, vou parar de tomar aquelas a mais, se não, quando ficar em atraso no dízimo, eu vou é pro inferno! E a pessoa começa através do medo e da ignorância fazer a tal reforma íntima, de uma forma mesmo que torta, mudar sua conduta.

Então tudo tem função nesta terra, todas as religiões! Mas falei tudo isso para fazer uma pergunta:

 – As entidades são terapeutas?

Sim, afinal fazem o trabalho de psicólogos, quando você se ajoelha aos pés de um preto velho, e chora. Quando você recebe o sorriso de um baiano, com sua forma alegre de falar as coisas. Ou quando recebe um doce de uma criança, para adoçar a sua vida. Mas tem também os marrudos boiadeiros, que com as suas feições de bravos, muitas vezes conseguem com sua força e energia te colocar no eixo, te trazer para a realidade.

Cada linha de trabalho tem uma especialidade, uma forma de agir, em nosso mental, emocional, limpam nossa energia, alinham nossos Chacras, nos dão mensagens de fé, otimismo, força, mas principalmente nos orientam sempre a nos cuidar, acreditar em nós mesmos, incentivam ao estudo, a mudança, a buscar a fazer diferente, nos elevam, trabalham a nossa autoestima.

Em alguns casos as pessoas nem precisam de velas, ou outros trabalhos, eles sabem que se não derem provas de que estão fazendo algo, a fé da pessoa não se sustenta! De nada vai adiantar todo o trabalho de limpeza, orientação que está realizando.

Quando o plano Astral fundou a Umbanda o principal objetivo, é o de combater os seres e energias negativas, que atuam ativamente em nosso planeta. Mudar a forma de culto, renovando o culto aos Orixás, por que se fosse para ser igual aos existentes não precisaria fundar uma nova religião. Alterar o nível de consciência das pessoas, elevando sua forma de agir e pensar. Conscientizando!

Portanto, as entidades são terapeutas?

Não, este trabalho é nosso! É nosso dever nos conhecer, saber de forma consciente de todas as coisas que fazemos e atraímos! Mas eles abnegadamente sabem, que com suas formas de ser e agir em nós, estão sim nos ajudando achegar neste estágio de consciência.

Quando me elevo, nos pensamentos, ou seja, estou sempre, ou quase sempre, com meus pensamentos e sentimentos, na alegria, na gratidão, no amor, na compreensão, na colaboração, na doação, em primeiro lugar para mim. Quando me aceito, me corrijo, assumo a responsabilidade, procuro entender, me compreender, a doar tempo para o que é bom para mim, fazendo cursos, lendo livros, praticando a caridade, seja de forma religiosa ou não. Quando trabalho com energias, de reiki, cristais, cores, ou seja, lá qual for a forma, estou investindo no meu amadurecimento, no meu crescimento na minha evolução, me tornando um ser melhor. E tudo ao meu redor muda!

Nós buscamos nas entidades aquilo que falta em nós! E eles nos mostram isso. Nos ensinam a acreditar que somos capazes! Que podemos, que somos divinos, que somos únicos, e principalmente que somos responsáveis!

Quantas vezes ouvimos, precisa cuidar da matéria! Se alimenta melhor, bebe mais água, come mais frutas, mais verduras! Fica mais calmo! Toma banho de erva e chá calmante! Para de ouvir o que os outros falam! Pensa no que é bom para você! Faz o que gosta! Eleva os pensamentos! Reza! Cuida de você!

Neste momento estão justamente, fazendo o papel de médicos, pois a sua pressão tá alta, você está com diabetes e não cuida, come demais, e muita porcaria, precisa emagrecer, ou engordar, ou sei lá o que, mais não faz o que tem de fazer!

Eles atuam como terapeutas espirituais trabalhando em nossos campos e corpos energéticos!

Realizam trabalhos de curas e ajustes magníficos, cirurgias, quebram sim, as demandas, as energias negativas, retiram os obsessores, mas atualmente a principal atuação tem sido no papel de amparadores emocionais! Nós conseguimos evoluir rapidamente em tecnologia, em conhecimentos, nas áreas da medicina, na área digital, mas continuamos parados ou até estamos regredindo no campo emocional. Falta amor, compaixão, gratidão, alegria, fé!

Falta isso em nós, conosco e com as outras pessoas. Afinal só posso dar aquilo que tenho. E se eu não tenho em mim, eu tento tirar do outro… É mais fácil eu sugar a energia do outro para mim, do que aprender a produzir, porque eu tenho de mudar, para que me preencha de mim, de tudo o que preciso e aí sim eu posso compartilhar com o outro aquilo que já tenho preenchido!

Então aproveitem muito bem as orientações os recados das entidades! E quando alguma delas for mais ríspida, rigorosa, ou enérgica com você, é que eles já falaram ou fizeram muito e você não aprende, e como nós temos o péssimo hábito de aprender na dor, assim assimilamos mais rápido. Não se magoe! Pelo contrário, agradeça, pois está tendo a chance de aprender mais rápido!

A importância do auto conhecimento para a espiritualidade.

Para quem não me conhece sou a Sandra Regina, sou terapeuta, Maga Iniciadora da Magia Divina, Dirigente Espiritual do CEU. Sementes de Luz.

Eu venho desde 1999 (20 anos) na busca por conhecimento em desenvolvimento Humano. Eu iniciei meus estudos, através de um instituto que existia no bairro do Tatuapé com o terapeuta Arnaldo Correa, lá eu fiz o Reiki Nível I, Quirologia, Tarô, e fui ao longo dos anos fazendo várias buscas, estudei Cromoterapia, Cristais, Feng Shui, Baralho Cigano e muitas outras coisas. Mas quando fui buscar ajuda com terapia, vi que era este o meu caminho, pois realizei mudanças fantásticas na minha vida! E então fui estudar, me tornei terapeuta e tenho aplicado as técnicas na minha vida pessoal.

Quando montei o NEEFF comecei ministrando cursos de Magia Divina, que é maravilhosa, cursos de desenvolvimento mediúnico, mas o meu coração sempre quis transformar as pessoas de verdade! Trazer conhecimentos onde as pessoas possam realizar mudanças efetivas e se tornem mais felizes! Quando tomamos consciência, amadurecemos, crescemos evoluímos! E é isso que eu quero levar para as pessoas! Ajudar a mudar, transformar!

EUREKA era um curso intensivo, que aconteceu ano passado, onde ficamos um dia inteiro estudando e aprendendo sobre vários temas, mas com o foco principal é o do autoconhecimento. E que teriam outros encontros ao longo deste ano. Porém como meu objetivo é ajudar o maior numero de pessoas possível, eu entendi que muitas queriam fazer, mas, por razões financeiras não podiam, ou porque um dia inteiro é cansativo e tinham de trabalhar no dia seguinte, enfim, por várias razões, desistiam.

Então senti que o melhor era transformar o curso intensivo em pequenas palestras com temas variados, mas sempre com informações que esclareçam, ajudem e levem as pessoas a realizar as transformações em suas vidas. Por isso estamos aqui hoje, para dar início a este projeto!

Mas hoje o que vou falar é sobre o autoconhecimento. Quando eu iniciei o meu verdadeiro estudo na Umbanda que foi com pai Rubens Saraceni, no ano de 2004, ele sempre afirmava que de nada adiantava nós médiuns estarmos ali, fazendo o estudo para desenvolver a nossa mediunidade, se não tínhamos o conhecimento de como nós funcionávamos.

Nós seres humanos, queremos entender de onde viemos, para onde vamos, como ser bons médiuns, estudar a espiritualidade, a nossa maior preocupação é em relação ao espírito! Todo o Universo espiritual, o que acontece do lado de lá, queremos ter a visão, a audição, a intuição.

Enfim, tudo isso é importante saber, entender, mas se você não souber como é que é o funcionamento do seu corpo enquanto ser encarnado está perdendo tempo e dando trabalho redobrado para a espiritualidade.

Seus amparadores, guias, mestres, protetores, ficam sobrecarregados fazendo um trabalho que na verdade é só seu! Eles levam um tempão para curar as suas mágoas, feridas, te reequilibrar da energia negativa, criada por seus pensamentos e sentimentos, para então só depois de muito tempo começarem a fazer o verdadeiro trabalho que é de poder utilizar seu corpo, seu aparelho para aquela função.

Então cabe a nós, sabermos como funcionamos. Ter consciência que somos espíritos encarnados, mas justamente por esta razão, é que somos responsáveis por nosso corpo físico, saber como seu cérebro funciona, o que é chacra, o que é energia, o que é vibração, do que somos formados além deste corpo carnal.

Nós somos o resultado de uma junção de corpos cada um com uma função específica, conhecido como aura, mas principalmente nosso corpo físico tem uma forma de reagir a tudo isso.

O que acontece no físico é o reflexo do que já existe no energético e espiritual. No caso de doenças por exemplo, o corpo vai dando sinais, que são os sintomas, mas nós não prestamos atenção. É mais fácil tomar um remédio qualquer e seguir em frente.

Não somos criados ou educados para observar a nós mesmos, sentir ou prestar atenção ao tipo de pensamentos ou sentimentos que temos.

Neste momento, você sabe o que está sentindo? Qual é o sentimento? Consegue perceber? Não precisa falar para mim, apenas observe, seu corpo, seu coração, tá batendo tranquilo? Está acelerado? Qual é a sensação? É boa? É desconfortável?

Entende que se observar, entender o que está sentindo e principalmente por qual motivo, sente isso, já é um grande passo para se ajudar. Quando começamos a nos conhecer, melhoramos nosso relacionamento com o externo, ou seja, com as outras pessoas. Mas o autoconhecimento, leva tempo, exige dedicação, força de vontade e principalmente persistência.

Querer olhar para dentro, mexer em dores, feridas que estão encobertas e curar, exige coragem! Nos faz sair da zona de conforto, faz com que tenhamos de sair da nossa condição atual.

Mas quando realizamos este trabalho, eu e você crescemos! Amadurecemos! Nos tornamos conscientes! Evoluímos!!!

E nossos amparadores espirituais, nos dão todo apoio, para que isso se torne uma rotina em nossa vida. Para que sejamos cada dia melhores instrumentos.

Já imaginou seu preto velho vindo e só de olhar ele pensa! Jesus! Que cabeça é aquela cheia de porcarias, o coração tá preto de energias negativas, a aura já era, tá toda cheia de buracos, tem um monte de fios energéticos tudo enrolado! Fora os “amiguinhos” grudados sugando toda a energia! E este aparelho acredita que é maravilhoso! Quando tá aqui realizando o trabalho, parece até um anjinho! Só falta a aureola e as asas! Quanta bondade! Mas este mesmo médium não tem noção do ele faz a si mesmo! Vamos ter de trabalhar muito meu Senhor Deus, para quem sabe ele conseguir começar a pensar em se cuidar de verdade! Pelo menos quando eu tiver de vir, não sou obrigado a baixar tanto a minha vibração para entrar em sintonia com ele e poder realizar o meu trabalho!

Aí o coitadinho começa a limpar seu campo energético, reajustar seus chacras, trabalhar seu mental para que você se eleve! Por isso mesmo falamos que o trabalho espiritual começa muito antes do início dos trabalhos. Até por esta razão, eu peço aos meus filhos que cheguem pelo menos meia hora antes.

Então mesmo você não sendo médium, não frequentando nenhum local, não servindo como meio de comunicação para a espiritualidade, saiba que é da sua responsabilidade sim, cuidar do seu mental, do seu emocional, do seu energético e do seu espiritual! Saber como você funciona, ajuda a si, para a sua compreensão, entender a lidar com os outros, a pelo menos compreender que cada um está no seu nível de aprendizado e no seu grau evolutivo, mas que se está encarnado, é justamente para aprimorar suas dores, trabalhar e elaborar o que não está bom, olhar para você se entender, se aceitar se compreender e saber que pode fazer diferente!

Você pode ainda não saber como, mas tomar esta consciência é o primeiro passo! Quer melhorar, querer mudar, ter a motivação para fazer algo por você! Afinal, se você não tomar conta de você, ninguém vai tomar!

Espero que eu tenha conseguido trazer um pouco mais de luz e compreensão a vocês! Deixe seu comentário!

Novo Eureka

Eu venho desde 1999 (20 anos) na busca por conhecimento em desenvolvimento Humano.

Eu iniciei meus estudos, através de um instituto que existia no bairro do Tatuapé com o terapeuta Arnaldo Correa, lá eu fiz o Reiki Nível I, Quirologia, Tarô, e fui ao longo dos anos fazendo várias buscas, estudei Cromoterapia, Cristais, Feng Shui, Baralho Cigano e muitas outras coisas.

Mas quando fui buscar ajuda com terapia, vi que era este o meu caminho, pois realizei mudanças fantásticas na minha vida!

E então fui estudar, me tornei terapeuta e tenho aplicado as técnicas na minha vida pessoal.

Uma pessoa que pode comprovar um pouco disso é o Ronald (meu marido), que estava saindo de um processo de síndrome do pânico quando nos conhecemos e em muitas vezes eu apliquei meus conhecimentos com ele e tivemos ótimos resultados. Desde então sempre leio muito, faço cursos, procuro me atualizar.

Quando montei o NEEFF comecei ministrando cursos de Magia Divina, que é maravilhosa, cursos de desenvolvimento mediúnico, mas o meu coração sempre quis transformar as pessoas de verdade!

Trazer conhecimentos onde as pessoas possam realizar mudanças efetivas e se tornem mais felizes! Quando tomamos consciência, amadurecemos, crescemos evoluímos! E é isso que eu quero levar para as pessoas! Ajudar a mudar, transformar!

Então tomei a decisão de transformar o Eureka, que a princípio eu tinha a ideia de ser um curso de formação pago, em palestras gratuitas para alcançar o maior numero de pessoas interessadas em aprender a realizar as mudanças necessárias em sua vida!

Nossa primeira palestra acontecerá no sábado dia 02/03 ás 17:15 hs. Em nosso núcleo de estudos na Praia Grande.

Em breve os temas abordados nas palestras serão também assuntos para o Programa “Eureka”, na Rádio Sensorial FM Web, que estreia na sexta-feira dia 22/03 ás 13:00 hs. comigo Sandra Regina. Acesse a rádio pelo site www.sensorialfm.com.br, ou baixe o aplicativo gratuito no App Store ou Play Store.

%d blogueiros gostam disto: